Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Entre Parêntesis

Tudo o que não digo em voz alta e mais umas tantas coisas.

17
Nov16

Adeus PT!

Ahhh, quinta-feira, esse dia maravilhoso em que tenho treino com o PT! Foi hoje. E foi o último, que eu fiz questão de - a meio da aula, esbaforida, frustrada, irritada e tudo mais - lhe dizer que para a semana não podia contar comigo. Andei a semana toda a remoer isto. As minhas olheiras? Foi do que não dormi enquanto andava às voltas na cama, enquanto pensava em como descalçar esta bota. A minha ansiedade? Exatamente pela mesma razão.

Eu não sou uma desistente. Detesto desistir do que quer que seja, custa-me muito dar parte fraca, baixar os braços e dizer "não consigo". E apesar de na semana passada tudo o que eu quis fazer, em todos os minutos daquele treino, foi dizer "chega", obriguei-me a continuar. Esforcei-me muito para, durante estes dias, ter uma atitude positiva em relação ao próximo PT - ou, pelo menos, não pensar no assunto. Mas o nível de desconforto e a frustração que sinto nos treinos supera qualquer tipo de orgulho próprio e eu percebi que toda esta questão estava a mexer comigo mais do que era suposto.

Se por um lado evito desistir, porque se há rótulo que não quero ter em cima de mim é o de desistente, por outro tinha de pôr as coisas na balança e perceber se os níveis de ansiedade que estava a atingir compensavam tudo isto. E a resposta foi fácil: não, não compensa. Estou numa fase maravilhosa da minha vida, em que gosto do que faço, em que supero barreiras todos os dias, em que me orgulho de mim mesma e trabalho para tudo o que conquisto. Este é dos poucos momentos, até hoje, em que acordo feliz por acordar e com vontade de derrubar tudo o que me apareça à frente e conquistar o mundo. Mas tudo isso desapareceu esta semana, porque tinha ali um drama num determinado dia da semana que eu não estava a conseguir saltar e que me arruinava os dias, por eu não ver nenhuma solução que me agradasse: ou parava e era uma desistente, uma #lontra para a eternidade, ou continuava, em prol de um corpo que provavelmente nunca vou ter, prolongando este desconforto e ansiedade por tempo indeterminado.

Custou-me afirmar que não ia mais, mas aproveitei um momento de explosão da minha parte para dizer tudo o que precisava. Sei que tudo isto remonta a muitos problemas que tenho e tive: eu sempre fui um desastre a educação física, sempre fui gozada, sempre fui a última ser a escolhida para as equipas, sempre fui a menina que fica no banco de substituição, sempre fui aquela que fica com o professor porque não tem par ou que fica num trio, a "incomodar" os outros dois. Estas "brincadeiras" deixam marcas - e não são superficiais. E acho que, também por isto, me custa ter alguém a supervisionar-me quando estou a fazer algo em que sempre fui péssima - e que está sempre a apontar-me erros, sempre a esperar mais de mim. Porque a verdade é que eu estou sempre a falhar, sempre a não conseguir, sempre a cair, sempre a não levantar. Numa só hora, dou por mim a bater em murros consecutivos - ultrapasso os primeiros mas chego ao fim exausta, sem conseguir ultrapassar nem mais um. E isto reflete-se tanto física como psicologicamente: as pernas tremem-me tanto que eu não me consigo sequer equilibrar, as posições já são tão "frágeis" que um só toque serve para eu cair; e eu saio perfeitamente derrotada, com a mentalidade de que não consigo fazer nada da minha vida.

Ninguém pode dizer que não tentei - tentei por pouco tempo, mas tentei. Não pus um pé fora da minha zona de conforto: dei um triplo salto. E sim, saí fora da caixa, não aterrei bem. Talvez não fosse o PT certo ou o timing correto. Mas esta vida é feita de escolhas e elas decorrem muitas vezes das prioridades de cada um. Sei que o "sonho" de um corpo (um pouco mais) perfeito e de um postura correta volta a ser adiado, se calhar até para sempre, porque não será de ânimo leve que me meto noutra. Mas não há nenhuma barriga lisa ou glúteo definido que valha tamanha ansiedade e desconforto como o que senti nestes treinos. 

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Pesquisar

Mais sobre mim

foto do autor

Redes Sociais

Deixem like no facebook:


E sigam o instagram em @carolinagongui

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Leituras

A ler:



goodreads.com


2020 Reading Challenge

2020 Reading Challenge
Carolina has read 1 book toward her goal of 12 books.
hide

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Ranking