Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Entre Parêntesis

Tudo o que não digo em voz alta e mais umas tantas coisas.

15
Set17

A questão: agenda ou bullet journal?

Todos os santos anos passo por isto e acho que todos os santos anos também escrevo sobre o assunto: agendas. É surpreendente como é que ainda tenho matéria sobre isto, mas aparentemente as questões relativamente a isto não só se repetem como se complicam ao longo dos anos. Nunca sei que agenda escolher, nunca encontro aquela que quero, é sempre um drama.

Este ano fiz uma coisa rara: comprei uma por impulso. Ou seja, não fiz uma das coisas que faço melhor nesta vida – pensar. E como não pensei, fiz asneira. Comprei uma agenda diária (erro!), com argolas (erro!) na Rosa Com Canela, muito gira, cheia de ananases na capa, como quem diz “vais sentir como se fosse verão todo o ano!” (a única coisa boa no meio disto tudo, ainda que seja mentira). Nunca tinha tido uma agenda diária mas, depois de no ano passado ter comprado uma com vista semanal e me deparar com uma sufocante falta de espaço para escrever, este ano tive a brilhante ideia de comprar uma que tivesse uma página para cada dia da semana. Mas passada apenas uma semana de (muito pouca) utilização, percebi que não aguento este método de organização: não consigo ver a minha semana como um todo, tenho de andar com as páginas para trás e para a frente para ver o que tenho para fazer, não é nada prático. Por outro lado, as argolas – coisa que eu já sabia detestar mas, por qualquer razão, decidi ignorar – são gigantes, as folhas nem circulam com facilidade e a agenda é relativamente pesada. Resumindo e concluindo: um autêntico flop!

Para piorar as coisas, no dia em que comprei essa agenda, trouxe também para casa – com o intuito de utilizar no trabalho – um planeador mensal (ou pelo menos assim achei e a menina me disse, porque na realidade não cabe um mês inteiro naquelas divisórias, é mais concebido para um planeamento semanal). E a verdade é que fiquei rendida e as coisas estão muito confusas: uso aquilo para o trabalho (um jornal sem uma agenda não é um jornal) mas depois utilizo outras folhas para organizar a minha vida, porque fiquei muito fã de ter toda a minha semana ali escarrapachada.

Desvantagem: não posso andar com aquilo de um lado para o outro – são folhas A4, não dá jeito – e, mesmo que andasse, passado um dia dentro da minha carteira do demónio já só sobrariam vestígios da antiga folha.

Ou seja: nenhuma das soluções é brilhante. Podia comprar a agenda semanal, desistir da diária, transforma-la num bloco de notas (mais um…) e no final do ano comprar uma agenda de 2018, como as pessoas crescidas, uma vez que já não tenho necessidade de organizar a minha vida por anos lectivos (adeus anos terríficos da faculdade!).

Mas – e porque há sempre um “mas” – lembrei-me de, no ano passado, uma menina me ter falado aqui no blog sobre o Bullet Journal e estou a considerar seriamente essa hipótese. Fui pesquisar e, apesar de ser realista o suficiente para perceber que nunca vou ter um caderno tão bonitinho como aqueles que se vêm no tumblr, acho que até pode ser uma boa opção, feita à nossa medida ou sem limite de espaço.

Porque a verdade é que, no último ano, não dei muito uso à agenda – mas senti muito a sua falta. Quando, no ano passado, escrevi sobre este assunto, alguém me perguntou como é que eu mantinha a agenda “viva” – e eu, que sou uma imbecil, não respondi (e peço desde já desculpa a todos os comentários que não respondi desde então, sei que é uma falha minha). Acho que como muitas das coisas de hoje em dia, é aprender a criar essa necessidade, criar o hábito e a rotina. No meu caso é muito importante não só porque me surgem coisas muito dispersas para fazer ao longo da semana, assim como gosto de apontar ideias para textos aqui no blog mas, acima de tudo, para me definir metas e objectivos para o dia-a-dia. Se eu não fizer coisas, penso de mais. E se eu pensar demais, deprimo. Por isso preciso de fazer, fazer e fazer. Nos últimos tempos desleixei-me muito nesses aspeto e estou a colher os frutos: entrei num ciclo vicioso de preguiça e letargia do qual não estou a conseguir sair. E a agenda, nesse aspeto, ajuda muito: porque eu detesto falhar e não corresponder aos meus compromissos (mesmo que sejam comigo mesma), por isso, quando vejo que não fiz algo a que me propus, fico chateada e acabo por me obrigar a fazer.

E é isto. Há por aqui alguém que faça o bullet journal e que possa dar bitaites sobre o assunto? Ou é mesmo melhor jogar pelo seguro e ir para a típica agenda semanal ou outra solução clássica – excluindo o telemóvel? Eu sei que é mais tecnológico e amigo do ambiente, mas faz-me falta riscar as tarefas, pôr um “check” ou sentir o poder e o peso – acima de tudo simbólico - da agenda passados os tais 365 dias do ano.

 

(circulem na galeria para ver alguns exemplo de bullet journals)

 

1 comentário

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Pesquisar

Mais sobre mim

foto do autor

Redes Sociais

Deixem like no facebook:


E sigam o instagram em @carolinagongui

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Leituras

A ler:



goodreads.com


2019 Reading Challenge

2019 Reading Challenge
Carolina has read 1 book toward her goal of 12 books.
hide

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Ranking