Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

[Entre Parêntesis]

Tudo o que não digo em voz alta e mais umas tantas coisas.

21
Nov16

Eu, o frio e a minha luta anual com as roupas de inverno

Carolina

Eu sei que esta conversa já é velha e perdoem-me se for repetitiva... mas é que todos os Invernos eu dou de caras com peças ridículas e confesso que fico ofendida por as outras pessoas - comuns mortais de pele, osso e músculo como eu - não terem o frio que eu tenho.

Andava eu a passear na loja online da H&M e os meus olhos bateram nesta camisola (ver foto) que, por sinal, é super gira. Eu adoro camisolas com os ombros à mostra, tenho algumas em modo verão - onde de facto está calor para se ter os ombros nus! - mas, no Inverno...? Então nós temos frio nos braços, na barriga, no peito e os ombros andam ao léu? É que ainda por cima aquela zona do pescoço é das mais sensíveis e qualquer corrente de ar que ali passe é sempre equivalente a um frio polar. 

Eu sei, eu sei, eu sei... quem está na moda não tem frio. Mas eu continuo a não perceber porquê que se vendem tantas t-shirts no inverno como no verão, como é que as calças e muitas malhas não são mais quentes, como é que muita gente só anda aí com uma camada de roupa que muitas vezes não passa de uma camisa fininha e horrorosamente fria. As lojas, da estação quente para a estação fria, só ficam mais guarnecidas de casacos e de algumas - poucas - malhas quentes; de resto, o espólio mantém-se o mesmo, o que me choca um bocadinho.

Eu não entendo, mas juro que gostava - chego a esta época do ano e ando sempre à cata dos camisolões mais quentes e fofos, só quase para ficar com os olhos e o nariz de fora para não enregelar. Todos os anos travo esta luta contra o frio e contra todas estas lojas que ainda vivem num espírito quente (mesmo que esteja a nevar lá fora!) - e todos os anos perco.

Por falar nisso, até já levei uma mantinha para o trabalho, que no outro dia estava prestes a entrar em hipotermia. Imaginem-me no computador, no escritório, com uma mantinha pelas costas. Eu sei, sou uma velhota em espírito. E ainda querem que use camisolas descascadas como esta?!

 

CamisolaHM.jpg

14
Dez13

Encontrei termos!

Carolina

Descobri que, afinal, não era só eu que andava à procura de uma coisa destas! E, graças a vocês (e a mim, porque aprece que quando procuramos as coisas ou nunca vimos algo antes, elas acabam por nos aparecer à frente) descobri umas termos jeitosas - e, segundo consta, até vou receber uma pelas mãos de uma mãe-natal-amiga muito especial!

Ora bem, passemos ao que interessa: pelos vistos, no starbucks há uns bens jeitosos. Como é óbvio, a malta do norte está lixada, tendo em conta que por estas bandas não há starbucks, mas pode-se sempre fazer uma expedição a terras lisboetas para o efeito, que eu cá não queixo! Curiosamente, depois de vos ter perguntado e de me dizerem que lá havia, vi uma página da Vogue que falava disso mesmo e que tinha lá o copinho especial de Natal. 

Mostraram-me também os KeepCup, que eu adorei e vende-se via internet (ai que eu fiquei tão tentada!!) e também uma termo muito gira versão lego, para os amantes da mini-construção, mas que só se vende numa loja algures em Lisboa! No site da KeepCup também descobri outras duas opções bem interessantes: a Bamboo Bottle, um pouco mais cara, e a Booble Hot, que era exactamente aquilo que eu queria e a que me ficou mais debaixo de olho!

 

Ficam as dicas para quem, como eu, espera poder levar uma bebida bem quentinha para qualquer sítio que vá, sem grande risco de ficar com a mala inundada! E obrigada a todos os que me ajudaram nesta busca =)

 

A Booble Hot:

28
Set13

Refazer parte do roupeiro

Carolina

Toda a gente sabe que eu sou a maior friorenta de que se tem memória. Em pleno inverno, sou menina para andar com três pares de meias, duas camisolas básicas, mais uma de malha, mais um casaco e um cachecol, meias-calça por debaixo das próprias calças e outras loucuras do género. Por muito que tente, não o consigo evitar: começo a tiritar de frio e o inverno é uma altura de desconforto constante para mim, sempre que me encontro fora de casa. Se fosse uma escolha, preferia hibernar nesta época, ou em frente à lareira ou dentro dos lençóis da minha cama. É aí que me sinto melhor.

Mas como sou uma pessoa (minimamente) normal e não me fecho em casa por sensivelmente seis meses, tenho mesmo de me enchouriçar. E isso faz com que a minha roupa de inverno fique gasta até ao tutano. Chego ao fim da estação com os básicos rotos e descolorados, as malhas todas cheias de borboto e as botas baratas a ficar rotas. Tenho aguentado esta situação nos últimos dois anos: os básicos escondo-os por baixo dos que estão melhores, as malhas demasiados usadas uso-as maioritariamente em casa. Mas deste ano não pode passar. Aproveitei em Bruxelas para comprar já algumas malhas quentes, porque vou ter de fazer uma mini-revolução no meu guarda-roupa: só metade é que deve ficar; um quarto vai para dar, outro deve ir mesmo direto para o lixo, tal é o mau estado em que está. E isto aplica-se em tudo: camisolas, calças, calçado, meias... tudo!

E verdade seja dita que a minha vontade de fazer compras - e, principalmente, gastar dinheiro - não é grande, mas vou ter de arranjar inspiração algures para refazer os meus outfits desta estação. E é bom que comece em breve, porque a chuva tem caído bem e o frio vem atrás. Odeio o Inverno.

20
Set13

Enfrentar o frio

Carolina

Por muito que não queira, que me queixe e faça birra, o verão está no fim. Para já ainda está calorzinho, mas a descida de temperaturas é inevitável com o passar dos dias. Mas eu vou adiantar-me.

Começo este ano lectivo a faltar: quarta-feira vou para Bruxelas. Vai ser uma visitinha de médico, tendo em conta que volto sexta, mas já vai ser o suficiente para refrescar: para além da capital belga ser extremamente chuvosa, as temperaturas não são lá muito altas. As máximas rondam entre os 13º e os 16º, pelo que vou ter de levar agasalhos. Lá vou eu ter de andar a remexer nas malhas e nos básicos de manga comprida... 

23
Jan13

Carolina vs. o frio

Carolina

Eu sou fã da Groupon. Pronto, admiti. Agora já posso dormir descansadinha depois desta minha confissão (mas lembrem-se, há quem goste de televendas, o que é bem pior!).

Mas enfim, não foi para me confessar que escrevi este post. Foi para vos contar mais um capítulo da minha guerra contra o frio: há uns dias recebi um email da Groupon com as ofertas do costume e, lá para o meio, tinha uns pijamas polares em modo macacão (pés incluídos e tudo, mesmo estilo babygrow). E eu só pensei: é agora! E lá encomendei um rosinha horrível, porque o outro azul (que eu preferia) era para homem.

E agora ele chegou e eu estou aqui aconchegadinha e quentinha como é raro estar. É levezinho e maciinho, mesmo bom para estar enroscadinha a ler um livro ou no sofá a ver televisão. E eu bem sei que já perdi muitas batalhas com esta coisa do frio, mas fica avisado: ainda vou vencer a guerra (então com este macacãozinho, hummm)!

 

16
Jan13

Há muito que isto não me acontecia

Carolina

 

Estar a ler um livro e ansiar por ler outros três.

O "Uma Morte Súbita" está a ser uma leitura agradável, embora tenha mixed feelings sobre o livro - não estou a perceber o objectivo dele, se é descobrir se a morte que se dá no início foi provocada ou é simplesmente um pretexto para contar a história de uma vila. Acho que só quando o acabar de ler é que vou saber - até lá, sempre vou saboreando a escrita da J.K., que continua tão "devorável" como em Harry Potter.

Entretanto, como prenda de Natal, chegou-me o "A Sombra do Vento", de Carlos Ruiz Zafón. Não estava mesmo nada à espera e foi uma surpresa deveras agradável, tendo em conta que já ouvi dizer maravilhas deste livro, e tenho as minhas expectativas altas. Curiosamente, nunca calhou pegar nele e traze-lo para casa, mas agora que o tenho a vontade de o ler é bastante.

Por fim, dois livros que mandei vir da wook, porque ainda não os tinha visto em qualquer livraria "física" - o "The Perks of Being a Wallflower", que ainda fervilha aqui por dentro (e por um post, já agora) e que estou mortinha por ler e o "Guia para um Final Feliz", filme que fui ver há pouco tempo e que gostei bastante.

Infelizmente, já há muito que não tinha este instinto devorador, mas felizmente ele já está de volta. E chegou na altura certa - a lareira está ligada e o quentinho invade o meu corpo friorento, ao mesmo tempo que faço uma das coisas que mais me dá prazer: ler.

11
Dez12

Mais queixinhas sobre o meu corpo friorento

Carolina

Eu tenho uma inveja um bocado diabólica daquelas pessoas que se vestem como as lojas de roupa querem que nos vistamos: de t-shirt e casaquinho. A sério que tenho.

Este ano tentei aproximar-me desse meu ideal utópico, mas tornei a falhar redondamente. Tentei mentalizar-me de que o frio é psicológico, que tinha de tentar parar de usar todos os santos dias aqueles camisolões grossíssimos, cheios de pêlo e que aparentemente aquecem até às orelhas. Funcionou durante uns dias, mas depois rendi-me.

Verdade seja dita que acho que melhorei: já só ando de vez em quando com dois pares de meias e ainda não vesti leggins por debaixo das calças. E, relativamente ao ano passado, os camisolões têm ficado mais vezes no armário.

Não é que eu tenha algo contra esta peça de roupa. Mas acho-as pesadas e pouco versáteis. É aquilo e é aquilo. Não há cá colares nem efeitos extra; muitas vezes, as golas já são tão grandes que nem um cachecol dá para adicionar. E eu não acho piada nenhuma.

Gostava era de poder comprar uns blazers e umas t-shirts e poder andar por aí assim, como parece que meio mundo anda sem ter frio. Eu já nem compro estas peças de roupa (pelo menos nesta época) porque sei que não as vou usar. Mas tenho vestidos de inverno que também estão a custar a sair do roupeiro: ou é porque está demasiado frio e atinge-me as pernas ou é porque está chuva e é desconfortável. Enfim. Vira o disco e toca o mesmo, e eu queixo-me e não consigo mudar. Tenho frio e sinto-me frustrada por ver tanta coisa gira - E FININHA - exposta nas lojas e eu só poder babar para cima delas, sabendo que usa-las com este tempo é verdadeiramente impensável com este meu corpo friorento.

07
Nov12

A relatividade das coisas

Carolina

Recebi um postal do Alasca, onde a senhora me dizia que se previam -17ºC para a noite em que o escreveu... e que não era muito frio. Frio, para ela, são -40ºC.

Depois de ler isto, olhei para mim mesma, a caminhar depressinha para casa, vinda do correio, porque estava a enregelar... com uns 12ºC. Cheguei à rápida conclusão de que morria, numa terra daquelas.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Também estou aqui!

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Leituras

A ler:



goodreads.com


2017 Reading Challenge

Carolina has read 0 books toward her goal of 15 books.
hide

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

o