Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

[Entre Parêntesis]

Tudo o que não digo em voz alta e mais umas tantas coisas.

04
Mai15

Farta do frio, da chuva e do vento

Carolina

Vou apontando na agenda as coisas sobre as quais quero escrever aqui no blog, para evitar que coisas que eu me lembro se desvaneçam na minha memória e que bons textos sejam perdidos para todo o sempre. Ainda assim, há muita coisa que me escapa, até porque sempre que me lembro de alguma coisa começo logo a escrever o texto na minha cabeça - e aquilo que parece brilhante na minha mente, um dia depois, quando o estou a passar para o papel, já não sai tão espectacular como isso. Continuo a dizer que o melhor era ter um papel e caneta ao estilo da Rita Skeeter, do Harry Potter - assim, sempre que estivesse a conduzir, prestes a adormecer ou a fazer outra tarefa qualquer, só precisava de dizer aquilo que queria apontar e já estava, a canetinha fazia automaticamente a tarefa por mim. Fica a ideia para os inventores do futuro, hun? 

Mas bem: há umas três semanas tinha apontado na agenda o seguinte tópico "farta roupas inverno". Uma pesquisa rápida no blog dá para perceber que eu não escrevi sobre isto. E porquê? Porque o tempo melhorou e já não faria sentido escrever o texto. Não melhorou substancialmente, uma coisa berrante, nada que dê para andar toda acalorada e de manga caviada. Mas, enfim, chegou para trocar a roupa de inverno pela de verão, encostar os casacos pesadões para o canto e guardar os camisolões grossos para o fundo da prateleira. Isti até estes últimos dias, que têm sido típicos de um inverno rigorosíssimo. 

Não sei como tem estado no resto do país, mas aqui no Porto esteve, durante o fim-de-semana, um tempo terrível - chuva até dar c'um pau, vento frio, dias que não saíram do cinzento. Então hoje foi uma autêntica tempestade, com ramos pelos ares, árvores caídas a cada canto, telhas e telhados no meio do chão. E chuva, muita chuva. O que traz roupa de inverno atrelada, como é óbvio.

Lá tive eu de me esticar para ir buscar as camisolas mais quentes mas, sinceramente, já não sei o que hei-de vestir. Comprei pouca roupa no início da estação e as quatro ou cinco peças que comprei, usei-as até à exaustão (de tal modo que já têm mais borboto do que malha) e estou farta, fartinha delas, até ao tutano! Já não as consigo reinventar, sinto que as usei de todas as formas e feitios imaginários, com todas as calças, botas e acessórios que aqui tenho. 

Preciso urgentemente do bom tempo!

23
Jun14

Dia triste

Carolina

Em dezanove anos, conto 18 São João's. Hoje seria o 19º. Claro que não me lembro das festas em bebé, mas lembro-me bem das festas aqui em casa; suponho que, desde que nos mudamos para aqui, há 16 anos, nunca deixamos passar esta data. E, por alguma razão, ao longo dos anos esta foi-se tornando a minha festa favorita. As sardinhas, a boa companhia, os foguetes, os balões, a tradição de ir para a piscina quando tocava a meia-noite sem os pais saberem.

Eram as únicas festas em que os amigos dos meus irmãos vinham em peso, traziam as guitarras, a boa disposição e bebidas alcoólicas a mais como "multa". Já lá vai o tempo em que a lista de "multas" era extensa e bem preparada, porque ter 50 pessoas em casa é algo que já exige uma boa organização. As luzes coloridas por cima das nossas cabeças, os enfeites, as grinaldas, os manjericos, a hora em que chegavam os doces e que os miúdos paravam tudo para darem de comer à gula. Enfim, o tempo passa. Agora os miúdos são os meus sobrinhos e não nós, os meus irmãos nem sempre vêem, e muito menos os amigos deles; também já não há luzes coloridas, apenas enfeites e grinaldas de papel que, por esta hora, estaria a colocar, porque é uma tarefa que sempre me compete.

Apesar de, ao longo dos anos, esta época festiva me ir entristecendo cada vez mais - pela falta gradual de pessoal, pela falta de alegria, de música, dança, bons vivãs e disposição - faz-me sempre bem celebra-la. É um dos dias mais longos do ano, é um dia alegre, o início do verão.

Mas hoje não há S. João. O S. Pedro, ao atirar-nos com previsões chuva para cima assim o ditou - e, verdade seja dita, a disposição para fazer uma festarola cá em casa também não é das melhores. Está tudo cansado, ou com dores, eu com exames, também cansada e sem tempo para grandes festas. E resultou nisto: uma casa vazia e sem movimento no que, nos anos atrás e por esta hora, já era uma confusão generalizada - as pessoas só chegam ao fim da tarde mas o começo da festa, para quem cá mora, começa sempre cedo e envolve muito trabalho braçal à mistura.

Não hoje. Não vou ao Porto, com 99% de certezas - será um dia como os outros, fechada em casa, com o barulho de fundo do meu computador e os papéis à frente, enquanto - mesmo com chuva - milhares de pessoas vão andar a martelar a cabeça de outras, beber cervejas, comer sardinhas e ver os 16 minutos de pirotecnia esperados à meia-noite na câmara municipal do Porto. Caraças, hoje é um dia triste para mim.

 

 

[23 Junho 2013]

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Também estou aqui!

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Leituras

A ler:



goodreads.com


2017 Reading Challenge

Carolina has read 0 books toward her goal of 15 books.
hide

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

o