Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

[Entre Parêntesis]

Tudo o que não digo em voz alta e mais umas tantas coisas.

12
Jul17

A felicidade são momentos simples

Carolina

Consigo avaliar se estou a viver períodos mais felizes ou tristes, mas em qualquer das fases há sempre um mix de emoções que nunca são lineares. Podemos estar felizes e ter um momento triste - basta um pensamento -, e podemos estar tristes e ter um momento feliz - basta uma memória. Porque uma coisa é certa: só por breves momentos é que os nossos sentimentos e emoções não se misturam e podemos sentir algo com a sua intensidade máxima. É algo breve - mas tão bom quando é bom; e tão mau quando é mau.

Hoje, enquanto saía do hotel junto a um dos canais aqui em Veneza e o sol se punha no horizonte, foi um desses momentos de felicidade pura. Não havia dramas familiares, zangas, preocupações com o trabalho, stress da viagem, dores nas pernas ou cansaço que valesse para estragar aquilo. É algo tão passageiro mas tão profundo; sinto-me pequena ao tentar descrever algo por palavras quando é quase indiscritível em imagem. O dourado do sol a bater nas paredes amarelas e laranjas de Veneza, com pouco ruído das enchentes que visitam a cidade - vantagens de estarmos longe do centro - e só com o barulhinho dos barcos a deslizar pela água, fez daquele momento tão simples - em que procurava um restaurante para jantar - em algo mesmo especial. Veneza tem uma capacidade incrível de ser calorosa e de nos encher a alma com um conforto que, de tão bom, nos parece estranho.

Depois de ter passado - lá está, foi tão rápido que nem se notou - lembrei-me que esta era mais uma das muitas coisas que eu, se pudesse, roubava do mundo Harry Potter'iano: a capacidade de guardar memórias num frasquinho e, quando quiséssemos, poder revisita-las. Não ter medo de esquecer - e, acima de tudo, poder lembrar as coisas quando nos parece impossível termos vivido algo tão bom (ou tão mau, dependendo do objetivo). No fundo, não estarmos à mercê de algo que parece ser tão volátil, que não controlamos ou percebemos completamente. Termos a garantia de que aquele momento ficará connosco, para sempre.

Enfim, quando voltar conto e mostro tudo - para já, resta-me dizer que comecei com chave de ouro. Já vos disse que adoro cidades em tons quentes, em que a história se sente nas paredes desgastadas? Pronto, era só para ficarem a saber.


Veneza, 12 de Julho. Escrito numa esplanada, onze da noite, 27ºC.

 

IMG_6902.JPG

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Também estou aqui!

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Leituras

A ler:



goodreads.com


2017 Reading Challenge

Carolina has read 0 books toward her goal of 15 books.
hide

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

o