Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

[Entre Parêntesis]

Tudo o que não digo em voz alta e mais umas tantas coisas.

02
Jul17

A arte de não saber criticar

Carolina

Nos últimos dias tenho andado embrenhada em críticas a parques de campismo. Ando atrás de mais um sítio para ir acampar com a minha família, com todas as exigências que isso implica - que fique, no máximo dos máximos, a duas horas do Porto, que caibamos lá todos e de preferência em forma de clã, que tenha água - mar ou rio - e boas condições de higiene (os mínimos, vá) - e por isso dou grande importância às avaliações e críticas de quem já lá esteve.

É claro que nem tudo é para levar a sério - já aprendi isso pelo tripadvisor no que aos restaurantes diz respeito. A verdade é que cada um tem os seus gostos mas, acima de tudo, referenciais diferentes. Um restaurante pode ser mediano, mas para alguém que normalmente come em restaurantes fracos, tascos, com diárias e coisas que tais... este é acima da sua média e, por isso, muito bom; já para alguém que frequenta sítios de luxo, um restaurante mediano é abaixo da sua média e por isso é normal que as críticas sejam menos positivas. Podia dizer-se que "há coisas factuais" mas, de facto, tudo depende daquilo que temos como referência. "As casas de banho são muito limpas" - se as pessoas, nas suas próprias casas, só lavam as casas de banho de quinze em quinze dias, é natural que casas de banho que, para mim, são horríveis, sejam para essas pessoas limpas. A questão aqui é que quanto mais limpas são, melhor - e agradam desde os menos exigentes até aos nazis da limpeza. Na comida também se vive o mesmo drama, embora aí entrem também os gostos, o que ainda vem piorar as coisas: "a sopa estava salgada". Se calhar para mim não, porque uso bastante sal em casa... mas para outros talvez sim. Por isso há muita coisa que, de facto, é difícil avaliar... e um restaurante ou um hotel bom é que aquele que de facto - e quase milagrosamente - consegue agradar a gregos e a troianos.

Mas uma pessoa tem de saber ultrapassar estas discrepâncias e encontrar um meio termo no meio de todas as críticas que lê. Mesmo que não se concorde com algumas coisas, o essencial é aceitar. Mas isto aplica-se quando as pessoas criticam, de facto, alguma coisa - quer seja de forma positiva ou negativa. Porque a verdade é que na minha exploração por parques de campismo, cruzo-me com inúmeras "críticas" perfeitamente inúteis tipo "dou cinco estrelas porque é aqui que passo sempre as férias com a minha família e amigos". Ah, muito obrigada, caro comentador! Ajudou-me imenso a perceber as condições do parque com o seu comentário hiper enriquecedor. Ou outros que pretendem deixar o suspense: "nunca ponham os pés nesta espelunca!". E explicar porquê, não dá? Esgotou o máximo de caracteres que o twitter permite? E já nem falo dos "monopalávricos" (acabei de inventar uma nova palavra, sim) - "bom", "gostei", "mau", "adoro" e coisas que tais - porque comparados com os comentários super argumentativos e explicativos que eu mostrei em cima, ao menos têm uma opinião geral, ainda que não fundamentada e igualmente passível de ser ignorada.

Eu posso ser suspeita porque escrevo com facilidade e gosto muito de escrever críticas - a rubrica "review da semana" é, para mim, uma das mais fáceis de fazer e dentro daquilo que é (ou não) o meu jeito de escrever, penso que até tenho bastante aptidão para criticar tudo e mais alguma coisa. Mas quer se escreva mal ou bem acho que a partir do momento em que uma pessoa se predispõem para criticar algo... devia saber o que criticar. Dizer o bom e o mau, o que gostou ou deixou de gostar, argumentar a escolha, falar das expectativas que foram ou não superadas. No caso das críticas do Google (leio muitas), são feitas sem qualquer pressão sobre as pessoas (ao contrário do booking, por exemplo, que nos manda emails a pedir para deixar reviews) e portanto acho sempre estranho que existam tantos comentários despropositados quando foram feitos, literalmente, de livre e espontânea vontade.

Ninguém diz "olha, fui para aquele parque de campismo por recomendação daquele senhor desconhecido que disse que vai lá todos os anos com a família e com os amigos e que por isso é muito feliz". Ou então sim e eu é que sou muito estranha e não percebo nada de críticas e poder de argumentação. 

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Também estou aqui!

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Leituras

A ler:



goodreads.com


2017 Reading Challenge

Carolina has read 0 books toward her goal of 15 books.
hide

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Ranking